Os principais sintomas, prevenção e tratamento da diabetes em gatos

Descrição da doença

O diabetes é chamado de patologia em que o pâncreas não produz insulina ou o corpo simplesmente "não a vê". Tal falha leva ao fato de que a glicose não pode entrar na célula e continua a permanecer no sistema circulatório. Como o curso normal dos processos intracelulares é impossível sem a glicose, isso é repleto de sérias interrupções no funcionamento dos órgãos internos, bem como nos sistemas de suporte à vida.

Vale ressaltar que animais de estimação com cinco anos ou mais de idade correm risco se a doença não for de natureza genética. Além disso, os gatos, e não os gatos, são mais propensos a doenças.

Definição de doença endócrina

Tipos e sintomas de diabetes

Em cães e gatos, diferentemente dos humanos, o diabetes é dividido em três tipos.

Para impedir que o diabetes mellitus entre em uma forma complexa que requer ingestão constante de insulina, é necessário aprender a controlar a doença. A droga mais recente contribui para isso Insumed, que ajuda a se livrar do diabetes “no nível celular”: o medicamento restaura a produção de insulina (que é prejudicada no diabetes tipo 2) e regula a síntese desse hormônio (que é importante para o diabetes tipo 1).

Diabetus Insumed - cápsulas para normalizar o açúcar no sangue

Todos os ingredientes que compõem o medicamento são baseados em materiais vegetais, usando a técnica de biossíntese, e estão relacionados ao corpo humano. Eles são bem absorvidos pelas células e tecidos, pois são aminoácidos que compõem as estruturas celulares. Componentes da cápsula Insumed normalizar a produção de insulina e regular o açúcar no sangue.

Informações detalhadas sobre este medicamento estão disponíveis na revista médica Obzoroff.info. Se você quer comprar Insumed com desconto, vá para site oficial do fabricante.

O primeiro tipo

É extremamente raro, geralmente em animais com idades entre 3-6 anos. Com esta forma da doença, o pâncreas não produz independentemente um hormônio, o que leva ao acúmulo de glicose no sangue. Sem injeções regulares de insulina, o gato desenvolve cetoacidose, que se torna a principal causa de morte do animal. O primeiro tipo pode ser reconhecido pelos seguintes sintomas:

  • perda de peso acentuada;
  • sede constante;
  • micção frequente;
  • aumento do apetite;
  • odor de acetona pela boca.

Para não perder o início da doença, monitore cuidadosamente o comportamento alimentar do gato. O alerta deve ser a perda intensiva de peso com apetite excessivo, além de consumo frequente.

O segundo tipo

Muitas vezes ocorre no contexto da obesidade em gatos com idade superior a 6 anos. O pâncreas produz insulina, mas sua quantidade não é suficiente para manter o nível necessário de glicose. Os animais diabéticos tipo XNUMX também precisam de injeções de insulina, mas o risco de complicações ou morte de animais é mínimo. Os principais sinais da doença são:

Insumed -   Todos os estágios do diabetes que um paciente pode encontrar

  • letargia;
  • diminuição do tom;
  • sede constante;
  • excesso de peso;
  • apetite excessivo.

Diabetes tipo 2

Esse tipo de diabetes é insidioso, pois não se manifesta nos estágios iniciais. Para diagnosticar patologia o mais cedo possível, preste atenção à frequência de beber seu animal de estimação.

Terceiro tipo

Por via de regra, é uma conseqüência do tratamento de patologias do pâncreas. O uso regular de medicamentos direcionados geralmente causa diabetes. Muitas vezes, a doença desaparece após a conclusão do curso da droga, mas às vezes os animais permanecem dependentes de injeções de insulina por toda a vida. Os sintomas do terceiro tipo são bastante embaçados e semelhantes aos anteriores:

  • micção frequente;
  • sede constante;
  • aumento do apetite.

Vídeo “Tudo sobre diabetes em gatos”

Neste vídeo, os veterinários falam sobre como a doença é diagnosticada e tratada.

Causas da patologia

Absolutamente todos os gatos estão em risco de diabetes. Em alguns, a causa é uma predisposição hereditária; em outros, fatores externos.

Excesso de peso

A obesidade geralmente é o resultado da superalimentação de um animal de estimação ou distúrbios metabólicos. Quanto mais tecido adiposo, menor a sensibilidade do corpo à insulina. Particularmente afetados são os animais nos quais a gordura é formada no estômago e nos órgãos internos.

O excesso de peso é a principal causa de patologia

Nutrição desequilibrada

A cada refeição, o gato deve receber exatamente quantos nutrientes precisar. Alimentar um animal de estimação da mesa do proprietário está repleto de distúrbios metabólicos, que podem levar ao desenvolvimento de muitas doenças.

Estilo de vida sedentário

Animais passivos tendem a estar acima do peso. Se, ao mesmo tempo, o gato não receber as vitaminas e minerais de que precisa, processos patológicos começam a se desenvolver no corpo. Jogos e dieta ativos ajudarão a minimizar os riscos.

Doenças dos vasos e sistema cardíaco

A hipertensão arterial ou patologias do músculo cardíaco geralmente se tornam a principal causa do diabetes. A pressão alta e a insuficiência cardíaca não apenas afetam negativamente o funcionamento dos órgãos internos, mas também reduzem a suscetibilidade à insulina.

Estresse crônico

Qualquer estresse afeta adversamente a saúde do animal. O gato perde o apetite ou, por outro lado, come tudo, não se mexe muito, dorme mal e está constantemente em excitação nervosa. Tudo isso reduz a resistência geral do corpo, o que muitas vezes leva a uma série de patologias graves.

Um estilo de vida sedentário leva à doença

Infecções virais

Nas doenças infecciosas, o sistema imunológico costuma sofrer, o que funciona no limite de sua capacidade de lidar com patógenos. É por isso que um animal enfraquecido é mais suscetível ao diabetes do que outros.

Doenças crônicas de órgãos internos

Doenças crônicas que o animal sofre por um longo tempo, não apenas diminuem a imunidade, mas também causam patologias concomitantes. O maior risco de se tornar diabético é geralmente encontrado em gatos com doenças nos rins, fígado, coração e pâncreas.

Efeitos diabetogênicos dos medicamentos

Qualquer medicamento direcionado tem efeitos colaterais que afetam o trabalho coordenado do corpo. Os medicamentos diuréticos e hormonais são especialmente perigosos e, portanto, administrá-los a um animal sem consultar um médico é estritamente contra-indicado.

Insumed -   Hipotireoidismo e diabetes se houver relação entre doença da tireóide e níveis

Diagnóstico de diabetes

É impossível fazer um diagnóstico preciso por conta própria e, mais ainda, prescrever um curso de tratamento, a menos que você seja um veterinário. Como os sintomas do diabetes são muito semelhantes a outras doenças, o gato precisa de uma série de testes adicionais:

  • urina
  • sangue (geral e bioquímico);
  • ultra-som.

Açúcar no sangue

Tratamento para diabetes em gatos

Muitas vezes, os proprietários cometem um erro grave – tratam seus animais de estimação e também a si mesmos. Lembre-se de que apenas um veterinário pode fornecer ajuda qualificada.

Regime de tratamento

Cada tipo de diabetes tem suas próprias características e, portanto, os protocolos de tratamento são um pouco diferentes:

– injeções regulares de insulina;

– um curso de injeção de insulina;

– perda de peso;

– medicamentos que estabilizam os níveis de glicose no sangue.

– injeções de insulina, se necessário;

– medicamentos que reduzem o açúcar;

– eliminação da patologia subjacente que leva ao diabetes.

Se um gato foi diagnosticado com cetoacidose, o tratamento é realizado em um hospital com conta-gotas que visa estabilizar o estado geral do animal.

Preparações de insulina

Por via de regra, para o tratamento do diabetes, os veterinários usam os seguintes medicamentos:

  • "Metformina" – reduz o teor de açúcar no sistema circulatório e no fígado;
  • "Glipizida" – induz células ativas a produzir mais insulina;
  • "Glicvidon" – estimula o pâncreas a produzir seu próprio hormônio;
  • "Miglitol" – bloqueia a decomposição de carboidratos complexos em glicose;
  • "Caninsulin" – estabiliza o metabolismo de carboidratos.

As consequências da deficiência de insulina

Injeção de insulina

É estritamente proibido injetar medicamentos destinados a pessoas ao seu animal de estimação. O fato é que a insulina felina, e diferentemente da humana, é produzida com base no pâncreas de porco ou bovino. Nesse caso, o medicamento é dividido em três tipos:

  • ação curta (1-3 injeção / dia);
  • meio (2-3 injeção / dia);
  • prolongado (1-2 injeção / dia).

Injeções de insulina de ação curta são geralmente administradas a gatos com o primeiro tipo de diabetes. Seringas com volumes de 40, 100 e 500 unidades / ml são vendidas em farmácias veterinárias. Eles são equipados com agulhas finas para reduzir o desconforto da injeção.

Gatos com um segundo e terceiro tipo diagnosticados recebem injeções de ação média ou longa. Tais injeções podem ser um substituto para comprimidos ou um medicamento independente. Lembre-se de que, com o uso regular de insulina, você deve ajustar periodicamente a dosagem, que só pode ser determinada por um veterinário.

Dieta

Em muitos aspectos, o sucesso do tratamento depende de uma dieta adequadamente equilibrada. O animal não deve sofrer de deficiência de proteína, mas a quantidade de carboidratos deve ser reduzida ao mínimo. Após o diagnóstico de diabetes, o animal é melhor transferido para alimentos especializados, como Hills W / D ou Pro Plan DM ST / OX DIABETES MANAGEMENT.

Se você não deseja desistir da nutrição natural, precisará fazer uma dieta. Além disso, o número de refeições precisará ser reduzido para duas vezes por dia ou porções devem ser reduzidas, mas apenas para que o gato não morra de fome.

Insumed -   Por que vale a pena visitar o centro de diabetes pelo menos uma vez

Os seguintes alimentos são permitidos para animais diabéticos:

  • carnes magras;
  • peixe magro;
  • aves de capoeira ou miudezas.

É estritamente proibido fornecer laticínios e produtos lácteos, massas e cereais. Verifique também se o gato não come comida da sua mesa.

Cuidados com o gato para diabetes

Animais de estimação doentes são muito vulneráveis ​​e, portanto, precisam de mais atenção e cuidados. Seu estado de saúde deve ser constantemente monitorado, registrando quaisquer alterações comportamentais. Nos primeiros sintomas alarmantes, você deve entrar em contato imediatamente com seu veterinário.

Para controlar melhor a dieta e não esquecer de tomar medicamentos, pegue um caderno especial. Lá, anote os indicadores de nível de açúcar, a dosagem do medicamento, o tempo das injeções, a quantidade de comida ingerida.

Dicas úteis sobre alimentação para animais de estimação

A maior dificuldade para iniciantes é a introdução de insulina. O principal é calcular a dose correta, caso contrário, um exagero da norma pode levar à hipoglicemia. Os primeiros sinais são convulsões, coordenação prejudicada dos movimentos, letargia. Se o animal não for levado ao médico a tempo, o gato entrará em coma diabético, que geralmente termina em morte.

Além de uma dieta equilibrada, entre na atividade física diária. Brinque mais frequentemente com seu animal de estimação, faça-o se mover mais, mas não exagere.

Possíveis complicações e prognóstico

Infelizmente, o diabetes geralmente causa doenças concomitantes. Entre os mais comuns estão:

  • cetoacidose;
  • neuropatia;
  • hipoglicemia;
  • angiopatia;
  • nefropatia;
  • úlceras tróficas.

Os primeiros meses após o diagnóstico de diabetes são os mais difíceis, não apenas para o animal, mas também para seu dono. Você não pode pular injeções, violar o regime e a dieta. No entanto, não se desespere, porque se todas as recomendações do médico forem seguidas, o gato poderá viver até uma idade muito avançada e, em alguns casos, até se recuperar completamente da doença.

A chave para o sucesso da terapia é a adesão estrita ao curso do tratamento e o aumento dos cuidados com seu animal de estimação.

Prevenção de Doenças

Prevenir a doença é sempre mais fácil do que lidar com uma doença existente. Para reduzir o risco de desenvolver diabetes, você deve seguir estas regras simples:

  • a nutrição natural deve ser equilibrada, mas é melhor dar preferência a alimentos especiais prontos;
  • mude o estilo de vida do seu gato para ativo, muitas vezes brinque com ele;
  • ao comprar um gatinho, estude cuidadosamente seu pedigree para eliminar o risco de uma predisposição genética para a doença;
  • Visite sua clínica veterinária regularmente para um exame de rotina.

Exames regulares por um veterinário impedem o desenvolvimento de patologia

Embora o diabetes seja uma doença bastante complexa, você pode conviver com ela normalmente e às vezes até se recuperar completamente. Se o seu animal de estimação recebeu esse diagnóstico, não desista, mas siga rigorosamente as recomendações do veterinário e envolva-o com cuidado extra.

Diabetus Portugal